17 de jun de 2010

Existem momentos...
em que se projetam imagens do (nosso) futuro em nós.

O medo do fracasso ronda nossas empreitadas,

como se fôssemos (pequenos) roteiros de férias.

Tiranicamente nos sobram aos braços nossos sonhos,

(embrulhados) como presentes festivos.

É irônico como os sonhos (freqüentemente) são confundidos:

com faturas do cartão de crédito.

O mundo todo se desfaz

e nós (continuamos) a projetar qualquer felicidade
a médio prazo; enquanto perdemos cabelos e (ganhamos) peso!

Temo ficar um velho, (gordo/magro e careca),
sem ao menos ter tocado a face

da plena REALIZAÇÃO-SEXUAL-CAPITALISTA...

#

13 de jun de 2010

Não me vejo em nada
Poucas coisas me felicitam inda hoje
Não vejo graça em trepar
Trepo só pra não ser mais diferente

Sofro péssimas influências
Tanto nas leituras, como nos relacionamentos.

Não preciso de apegos externalizados
Preciso, agora, de sutilezas
Algum dono dos sonhos me disse: Durma
Mesmo sabendo das angustias do sono
(Que é como um retornar a morte...)

Não sou diferente de ninguém
Nem de mim
Não sou parecido com ninguém
Nem comigo
Não quero recobrir a mentira
Só a vaidade
Não quero encobrir o frio
Só os fatos

A falta de inteligência e compreensão
É um dos pilares axiomáticos de toda natureza perceptiva humana
Embora os mais ousados não necessitem dessa percepção

A natureza fez-nos tolos e fortes
Portanto na essência jamais vence-la-emos

O medo de saber-se é o tocar-se sem auto-suficiência

Há construção sem operários famintos?
Sem ideais arquitetônicos?

6 de jun de 2010

Meus terceiros sonhos da noite
Sempre foram regados a drogas e violência
Numa sensação de poder e impunidade que me toma
Podendo matar e estuprar sem culpas cristãs nem burguesas

Ao despertar por completo do açoite
De meus oníricos festins à grandiloqüência
Sob a ducha fria e calculista que então me doma
Devo me masturbar carinhosamente como atrizes francesas

Mas quando caio de meu mundo napoleônico
Percebo que sou orgânico demais
E não biônico

Engulo atravessado comprimindo os meus ais
Da falha do meu projeto faraônico:
Ser mais capaz

#