22 de set de 2009

para Schopenhauer
O desejo, sim, é infinito.
Ele não cessa de vez.
Estanca! Mas pega de novo.
Para! Mas volta a rodar.
Still, but return to play.
O desejo é ilusão que nunca acaba…
Game over? Ever and never finish!
Para Maíra Egito

Não tenho saúde emocional pra conversar contigo ultimamente!

Bem sabes por quê...
Não consigo concatenar minhas “geniais” idéias;
Não consigo dormir direito nem esquerdo;
Não consigo ler Nietzsche como quando tentava ler;
Não consigo atender (teus-meus) telefonemas;
Só tenho ouvido algumas músicas de um velho amigo olindense.
E às vezes sinto vontade de chorar no vazio.
Mas não tenho raiva,
Não tenho medo,
Não tenho nenhum...
Tenho um frio e uma sede que penso que nunca vão passar.
(Pra quem sempre mereceu uma poesia de qualidade,
Pelo menos conseguiu uma sincera.)

7 de set de 2009

A mulher que eu amava
Se revelou ser a mulher que eu temia que fosse
Desses tipos de mulheres que todos os homens conhecem bem
Conhecem porque já estiveram com uma — Já tocaram realmente
(se não na mesma cama, no mesmo ambiente)

A mulher que eu amava
Revelou-me desejos que me cortaram os tímpanos
Esses tipos de segredos que sabemos mas não queremos ouvir
Sabemos porque já fizemos igual — Já idiotizamos suficiente
(se não em outra cama, em outro ambiente)