11 de jul de 2009

Não consigo me concentrar em nada:
Feito suco.
Nem em coisa alguma:
Feito água.
Meu plug não encontra tomada!
Arrumo o quarto a sala e a cozinha,
Tiro cabelos do ralo,
Tiro a gordura da pia.
Mas os ralos de minha ciência estão perdidos.
Mas o encanamento de minha vida continua entupido.
É como se eu vivesse num limbo:
Meio-sonho-meio-pesadelo-meio-sonho de novo...
Um pouco de tédio;
As tais obrigações,
(que são bem poucas no momento).
Alguma felicidade entorpecida:
Meio-êxtase-meio-arrependimento!
E o cabelo no ralo...
E a gordura na pia,
É a mesma em minhas ventas e em minhas goelas.
Não cheiro nem engulo mais nada (só o óbvio).
Já me disseram que estou sendo desperdiçado,
Depois disso,
Comecei a me sentir um desperdício.