14 de mar de 2013


Para Hellen.

Amo-te, pequena mina tão rebelde
Porém pareces minar meu coração
Tal amor nunca cabe num só balde
Coube já, no bojo de minha mão...

Ganhei eu, uma menina tão açoita
Que afronta paciência quando quieta
Miudinha e marota pela moita
Bem na vida me complet’alma deserta!

Dos rebeldes nada sei o que dizer
Fui um deles, talvez possa explicar:
Sou artista e uma artista ais de ser
Só espero que não deixes de me amar.