31 de jul de 2016


Dia desses,
Eu tive um vislumbre
De uma teoria fuderosa;
Que ia explicar o caralho a quatro!

Mas...
Comecei a roer as unhas,
Preocupado,

E me esqueci.

28 de jul de 2016



Quando criança mijei numa garrafa e a escondi.
Fui em busca, bom tempo depois, e me vi decantado.
Adolescente masturbatório, ejaculei num preservativo.
Pra minha surpresa meu sêmen ficou avermelhado.

Sangrando 
coagulado;

18 de jul de 2016


Quero soprar tua orelha,
Num sopro bobo e acanhado;
Covarde por minha besteira
E bobo por demais excitado.


Quero tragar teu juízo
E não quero ser juizado;
Nem sopro,
Nem trago,
Nem ligo...
Desligo, pra não ser desligado.



Quero beijar teu umbigo,
Num beijo bem amanteigado...
Teu corpo decola
E contigo,
Deslizo:
só pra ser:
deslizado.

17 de jun de 2016




Um poema é uma farsa
Tanto quanto se trama
Uma raiva de mentira
Reforça quem você ama
Minha gala abre portas, e pernas,
De quartos e terços gelados (suados):
Mas só meu deus samba...


E a vida é abrir o refrigerador 
Na madrugada
E ter vontade de voltar pra cama. 

1 de abr de 2016

Amigos amados das dores letais.
Artistas frustrados das ciências locais.
Aglomeram-se em esferal sistemas cabais.
Mantendo e sentindo coisinhas reais.
Agruras, louquices e romances astrais.

Encontros que contam incríveis histórias de quem não se convence aos convencionais.