6 de jan de 2009

*
Chega de falácias e perdões
Agora vejo a travessia mais distante
Não tenho moral, tenho solidões
Nenhuma dor pode ser paralisante

Chega de apegos as traições
Acima disso há um espírito cantante
Virtuoso em potência e evoluções
Pois a vontade é essência estimulante

Preciso meu caminho retomar
E o endereço que procuro é a ponte
Mas que não seja materialista nem ideal

Entre o eu e o além-eu contemplar
Que no ser e no não-ser existe a fonte
Para fundar meu conhecimento no irreal

*